Conferências e Recitais


7 de Julho | 21.30h | Museu da Música Portuguesa

Fernando Lopes-Graça em três momentos políticos (1937-1945-1974) - Escuta de obras e debate a quatro mãos, com Manuel Deniz Silva e Pedro Rodrigues

Esta sessão propõe um percurso por algumas obras de Fernando Lopes-Graça a partir da relação entre a música e a política na obra do compositor. Focar-se-ão três momentos essenciais do seu percurso: a passagem por Paris entre 1937 e 1938 e o seu envolvimento em iniciativas culturais da Frente Popular francesa; a participação no MUD, no contexto das eleições de 1945, e a composição das Marchas, Danças e Canções; o 25 de Abril e o processo revolucionário.

Serão ouvidos e comentados excertos das seguintes obras:

Paris, 1937, para dois pianos (1968)
Canções populares portuguesas, Série I (1939)
História Trágico-Marítima (1942)
Marchas, Danças e Canções (1945)
Cinco estelas funerárias: para companheiros mortos (1948)
Viagens na minha terra (1969)
Canções heróicas (1974)
Requiem: para as vítimas do fascismo em Portugal (1976-79)


13 de Julho | 21.30h | Centro Cultural de Cascais

Recital por António Rosado (piano), comentado por Sérgio Azevedo

Programa

Parte I

Comentários de Sérgio Azevedo

Claude Debussy (1862-1918) - Préludes, livre II (1912-13)
I. Brouillards II. Feuilles mortes III. La Puerta del Vino IV. Les Fées sont d'exquises danseuses V. Bruyères VI. General Lavine - eccentric

Luís de Freitas Branco (1890-1955) - Prelúdios (1914-18)
VI. Moderadamente animado XIX. Moderado não lento VIII. Muito animado

Parte II

Comentários de Sérgio Azevedo

Fernando Lopes-Graça (1906-1994) - Suite nº 5 In memoriam Béla Bartók (1963-64)
I. Prelúdio II. Vesperal III. Contradança IV. Barcarola V. Loa VI. Tocatina

Claude Debussy - Pour le Piano (1896-1901)
I. Prélude II. Sarabande III. Toccata


28 de Setembro | 21.30h | Centro Cultural de Cascais

Fernando Lopes-Graça: O diálogo entre a música e a poesia - Conferência-recital com Nuno Vieira de Almeida (piano), Susana Gaspar (soprano) e Tiago Manuel da Hora

A poesia sempre foi responsável por suscitar a Fernando Lopes-Graça algumas das suas obras mais inspiradas. Como os seus grande antecessores Wolf ou Schumann, Graça sempre teve um olhar profundo e certeiro sobre a palavra poética e a sua escolha recaía indiscriminadamente em todo e qualquer poeta de qualidade apesar das suas opções ideológicas.

Camões e Eugénio de Andrade despertaram nele uma veia lírica de muitos desconhecida. É esse aspecto da sua obra que queremos sublinhar com a escolha deste programa. Há ainda uma claramente audível homenagem a Debussy que perpassa por todo o maravilhoso ciclo Mar de Setembro.


15 de Dezembro | 21.30h | Museu da Música Portuguesa

Recital por Ana Cláudia Assis (piano)

A confirmar

Programa a anunciar


17 de Dezembro | 17.00h | Museu da Música Portuguesa

Recital integrado na entrega do Prémio Internacional de Composição Fernando Lopes-Graça


Programa

Parte I

Flauta solo: Nuno Inácio

Obra vencedora do Prémio Internacional de Composição Fernando Lopes-Graça 2015:
Francesco Celeste (Itália, 1966)
Misterioso

Fernando Lopes-Graça (1906-1994)
Deux Airs (1976)
I. Air Tendre II. Air de Bravoure
Dois movimentos (1977)
I. Livre II. Rigoroso

Parte II

Piano a 4 mãos: Saul Picado e Diana Botelho Vieira

Obra vencedora do Prémio Internacional de Composição Fernando Lopes-Graça 2017:
(a anunciar)

Fernando Lopes-Graça
Melodias Rústicas Portuguesas, 3º caderno (1979)
I. Canto do S. João II. Este ladrão novo III. Deus te salve, ó Rosa IV. S'nhora da Póvoa V. Oração de S. José VI. Pastoril transmontano VII. A Virgem se confessou VIII. Canção de berço IX. Ó da Malva, ó da Malvinha! X. Martírios XI. Maragato son