Moscow Piano Quartet

Alexei Eremine (piano), Maria Castro Balbi (violino), Alexandre Delgado (violeta), Guenrikh Elessine (violoncelo)

O Moscow Piano Quartet (Quarteto com Piano de Moscovo, MPQ) que tem sofrido algumas alterações na sua composição, foi criado em Moscovo em 1989 pelo pianista Alexei Eremine e pelo violoncelista Guenrikh Elessine. É uma das mais destacadas formações de música de câmara residentes em Portugal. Marcado pela aprendizagem com mestre Valentin Berlinski - violoncelista do Quarteto Borodine - o MPQ tem vindo a divulgar todas as obras escritas para violino, violeta, violoncelo e piano, do período clássico aos nossos dias. Com atuações por toda a Europa e no Japão, em 2001 o MPQ foi condecorado com a «Medalha de Mérito Cultural do Concelho de Cascais», pelo seu trabalho realizado desde 1993 como Quarteto Residente. O grupo tem vindo a realizar diversas primeiras audições e estreias em Portugal, sendo convidado regular das principais instituições de concertos e festivais do país.


ALEXEI EREMINE (piano) nasceu em Moscovo em 1964. Iniciou os estudos de piano aos 6 anos na Escola de Música Gnessin vindo a terminar cum lauda o Curso Superior no Instituto Pedagógico de Gnessin, nas classes de Alexander Satz (Piano) e de Valeri Samoliotov e Irina Anastasieva (Música de Câmara). Com o Trio Gnessin, que formou nessa altura, realizou tournées por várias cidades da União Soviética. Em 1990 participou com M. Arguerich, A. Rabinovitch e A. Batagov num CD com música de A. Rabinovitch, galardoado com um Diapason d'Or. É membro fundador do Moscow Piano Quartet (MPQ), primeira formação do género na Rússia, criada em 1989 e com a qual efectuou inúmeros concertos em Moscovo e S. Petersburgo, bem como digressões na Letónia, em Portugal, Espanha França., Itália, Alemanha, Grécía, Japão e Benelux. O grupo participou nos festivais do Estoril, de Sintra, do Algarve, de Alcobaça, de Mafra, de Assisi, de Palma de Maiorca, de Macau, de Kreuth, entre outros, e reside desde 1993 em Cascais com o estatuto de "Quarteto Residente". Eremine é co-director artístico do Festival de Castelo Branco e tem actuado com músicos como N. Gutman, M. Berlinskaia, V. Samoliotov e M. Gerónimo. Em 1998 organizou no Porto o concerto para sete pianos que reuniu Pedro Burmester, António Rosado, Luis Miguel Borges Coelho, Fausto Neves, Jaime Mota e Luis Filipe Sá, interpretando uma obra de Vladimir Martinov em estreia mundial e obras de Steve Reich e Morton Feldman, numa actuação gravada em CD pela etiqueta BMG. Foi professor no Instituto Gnessin e na Escola Profissional de Arcos do Estoril, leccionando actualmente na Academia Nacional Superior de Orquestra.

ALEXANDRE DELGADO (violeta) nasceu em Lisboa em 1965. Estudou na Fundação Musical dos Amigos das Crianças e foi aluno em composição de Joly Braga Santos e de Jacques Charpentier, diplomando-se com o 1.º prémio do Conservatório de Nice em 1990. Entre a sua o produção sobressai a música de câmara (Quarteto de Cordas, Burlesca, Langará, The Panic Flirt), a música concertante (Concerto para Flauta e Orquestra, Concerto para Violeta e Orquestra) e a música vocal (Turbilhão, Poema de Deus e do Diabo). A sua ópera de câmara O Doido e a Morte (1993) foi estreada no Teatro de São Carlos e no Theater Am Halleschen Ufer em Berlim, sob sua direcção. Vencedor do Prémio Jovens Músicos em 1987, estreou como solista o seu Concerto para Violeta em Portugal, Espanha e Holanda. Membro do Quarteto Lacerda desde 1990 e do Moscow Piano Quartet desde Janeiro de 2005, é director artístico do Festival de Música de Alcobaça. Assina o programa A Propósito da Música na Antena 2 desde 1996 e é autor dos livros A Sinfonia em Portugal e A Culpa é do Maestro - crítica musical 1990/2000, editados na Caminho. É co-autor do livro Luís de Freitas Branco, publicado em Maio de 2007 pela mesma editora, primeira obra de fundo dedicada ao compositor.

GUENRIKH ELESSINE (violoncelo) iniciou os seus estudos musicais e de violoncelo em Moscovo aos 6 anos de idade. Em 1985 conclui o mestrado no Instituto Musical e Pedagógico de Gnessin pelo qual é convidado a leccionar nas classes de Quarteto e Música de Câmara e onde trabalhou até à sua vinda para Portugal em 1991. Laureado com o 2º Prémio no Concurso de Violoncelo da Federação Russa em 1985 e o 3º Prémio no Concurso de Quartetos de Cordas da U.R.S.S., em 1987. Foi membro do Quarteto Gossteleradio (da Rádio e Televisão Estatal ) da Federação Russa de 1987 a 1989, com o qual fez inúmeras gravações para os arquivos da rádio e televisão, alguns editados posteriormente em CD. Actuou em mais de 150 concertos por toda a União Soviética, Índia, Algéria e Itália. Em 1989 fundou o Moscow Piano Quartet , com o qual tem actuado em concertos pela Rússia, Europa e, Macau e Japão. Ao longo da sua carreira apresentou-se em palco com artistas de renome dos quais são exemplo o Quarteto Borodine, Natália Gutman, Naum Starkman, Dmitri Alekseev, António Saiote, entre muitos outros. Trabalhou de perto com o compositor Alfred Schnittke, tendo sido um dos primeiros intérpretes do seu 3.º Quarteto de Cordas e do Quarteto com Piano. É co-director artístico do Festival Internacional de Música de Castelo Branco desde a 1.ª edição.

MARIA CASTRO BALBI (violino) nasceu em Lima, no Perú, e começou a estudar piano aos três anos de idade e violino aos cinco. Apresenta-se regularmente na Ásia, na Europa e nos Estado Unidos da América. Como solista, atuou recentemente numa digressão em França, com a Orchestre d'Aubagne, e em Lisboa, com a Orquestra Gulbenkian. Frequentou o Conservatório Nacional de Lyon, em França, onde se diplomou com as Medalhas de Ouro em violino e solfejo. Estudou posteriormente no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris tendo recebido os prémios em violino e música de câmara. Mais tarde, estudou com Phillip Hirshorn e Viktor Liberman na Hochschule von dem Kunsten, na Holanda, e com Tibor Varga na École des Archets, na Suíça. Frequentou cursos de aperfeiçoamento orientados por Zakhar Bron, Augustin Dumay, Alexis Galpérine, Edward Schmieder, Boris Belkin e Stefan Giorgiu, entre outros, e participou em importantes festivais, como o Festival des Arcs (França) e o Holland Music Sessions. É membro fundador do grupo de fado Trinados, tendo realizado digressões no Brasil, Marrocos, Portugal, Espanha e Estados Unidos da América. Maria Balbi reside em Lisboa, onde integra o corpo docente do Instituto Piaget e é professora de violino na Academia Metropolitana de Música de Lisboa.